Maida Withers, coreógrafa, diretora, dançarina, professora orientadora, produtora e membro de vários conselhos americanos de arte e dança estará no Brasil de 13 a 23 de fevereiro de 2014 desenvolvendo uma residencia artística em Arte Computacional & Dança. Seu objetivo é elaborar a performance MindFluctuations (clique aqui) tendo por base a implementação poética em realidade virtual NumericVariations da artista computacional brasileira Tania Fraga, Vice Presidente do Instituto de Matemática e Arte de São Paulo, em conjunto com Donizetti Louro (Matemático e Cientista Cognitivo), Mauro Pichilliani  (Engenheiro de Software) e Pedro Garcia (Cientista da Computação), consultores especialistas dos trabalhos.

A performance visa explorar processos interativos exoendogênicos* em interface** cérebro computador (BCI). Nesses processos acontecem interações exógenas dos performers com seu ambiente gerando emoções que afetam certos comportamentos endógenos dos agentes virtuais. 'NumericVariations' implementa poeticamente algoritmos de crescimento fractais, de inteligência e de vida artificial.

Maida, uma poderosa e forte performer americana, é conhecida por seu atrevimento nos movimentos e em suas inovações como coreógrafa cuja abrangência e visão envolve um processo intenso de experimentação e colaboração entre arte e ciência ao redor do mundo. Ela tem criado um vasto corpo de trabalhos para a Maida Withers Dance Construction Company.

Entre cada 3 a 5 anos Maida inicia e produz um trabalho de grande escala resultado de investigação e pesquisa os quais envolvem viagens internacionais e intensa colaboração com artistas, músicos, cientistas, antropólogos e tecnólogos. Maida explora o uso das novas tecnologias computacionais e videográficas, misturando imaginação e coragem com uma profunda sensibilidade para a estrutura formal e a beleza. Suas obras refletem seu ativismo em arte e em assuntos sociais e políticos provocadores através de narrativas não lineares frequentemente entremeadas de humor. Site specific performances e improvisação em dança são importantes aspectos de seu trabalho criativo.

Sua carreira começou no final dos anos 60 do século 20 inspirada em Anna Halprin e John Cage, mas logo assumiu seu próprio estilo influenciado por renomados artistas como Merce Cunningham, Erick Hawkins, Alwin Nikolais, e Mary Wigman (Alemanha). Ela é referida como a "iconoclasta da dança de Washington," e continua a ser uma líder no que concerne às aplicações das novas tecnologias em dança. Tournées de Maida e de sua Companhia incluem a França, Finlândia, Noruega, Rússia, México, Brasil, Venezuela, Costa Rica, Hong Kong, Coreia e Japão entre outros. Seu trabalho universitário no Departamento de Dança e Teatro na The George Washington University, em Washington, DC, se tornou um importante aspecto de sua obra pois o ambiente universitário garantiu lhe a liberdade e um apoio propício para para o desenvolvimento de suas pesquisas experimentas alimentando sua curiosidade intelectual e seu espírito aventureiro e independente. Suas viagens internacionais têm o apoio de diversas embaixadas americanas, russa, mexicana, venezuelana e brasileira, de serviços governamentais americanos assim como do The Trust for Mutual Understanding, Ford Foundation, Russia, DC Commission for the Arts and Humanities, e de várias corporações americanas localizadas em Washington, DC.

 

* Tipo de interatividade definido por Tania Fraga e que possibilita à mente humana interagir com a 'mente' maquínica de modo a interferir em comportamentos e em processos autônomos computacionais modificando-os simbioticamente.

**A interface está sendo desenvolvida no Instituto de Matemática e Arte de São Paulo. Ver http://www.ima.mat.br